Publicador de Conteúdos e Mídias

null Justiça do Trabalho participa da primeira romaria do Círio com ações da Comissão Contra o Trabalho Infantil

A programação contou com a participação do ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Evandro Valadão, coordenador nacional do programa de combate ao trabalho infantil da Justiça do Trabalho

fotografia com alunos, padrinhos e voluntários do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estimulo à Aprendizagem do TRT-8. Eles seguram uma faixa e cartazes da campanha do Círio 2022 do tribunal. (Foto: TRT-8)

fotografia com alunos, padrinhos e voluntários do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estimulo à Aprendizagem do TRT-8. Eles seguram uma faixa e cartazes da campanha do Círio 2022 do tribunal. (Foto: TRT-8)

Às 6 horas da manhã de sexta-feira, 7 de outubro, o som que ecoava dos sinos da Basílica Santuário de Nazaré  anunciava que a maior Romaria, com mais de 50 km, estava prestes a iniciar. Durante o trajeto da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré para Ananindeua, escolas públicas parcerias da Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª  Região fizeram homenagem à padroeira dos paraenses e ressaltaram a importância do combate ao trabalho infantil.

A  mobilização de alunos e professores de 95 unidades educacionais que levaram às ruas da capital paraense a mensagem da Comissão, que este ano tem como tema “Maria, Mãe e Mestra, desperta nas crianças e nos adolescentes o interesse pelo saber e pela educação transformadora de suas realidades”.

A programação contou com a participação do ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Evandro Valadão, coordenador nacional do programa de combate ao trabalho infantil do TST, que acompanhou o traslado da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré para Ananindeua, e também das coordenadoras regionais da Comissão, a desembargadora Zuíla Dutra e a juíza do Trabalho Vanilza Malcher.

As romarias nazarenas, nas suas grandiosidades, não inexplicável para quem nunca sentiu de perto a energia dos remeiros com Nossa Senhora, é emoção que não se sabe contar, apenas sentir. O ministro do TST, Evandro Valadão, contou o que  sentiu na sua primeira vez em uma das 13 romarias. “É um momento muito especial, de ver pessoas felizes, de fé, de solidariedade humana, de fé na nossa senhora, de fé no próximo, todos aqui comungando dessa mesma intenção. É bonito ver a festa do povo paraense”, destacou o ministro.

Em relação ao trabalho que a comissão vem desenvolvendo nas escolas da rede pública, o ministro falou que "sempre tive essa convicção de que, para termos um país melhor, nós precisamos de crianças nas escolas. Crianças têm que estar fora do trabalho infantil, porque o trabalho infantil rouba o direito de ser criança e rouba sonhos; sonhos trazem esperanças, então rouba a esperança das nossas crianças. Sempre digo que um país sem esperança é um país sem futuro, e ter um país sem os sonhos de suas crianças é ter um país sem futuro. Estou convicto disso, de que o nosso trabalho na comissão nacional de combate ao trabalho infantil é um trabalho importantíssimo para um país muito melhor lá na frente”, destacou.

Mobilização

Com cartazes, faixas, camisetas, trio elétrico e balão, as diversas formas serviram para prestar homenagem por onde a imagem peregrina passava. Os estudantes, docentes e padrinhos do programa faziam as honrarias à Nossa Senhora e pediam proteção para continuar cuidando das crianças e dos jovens. 

“A cada ano nós participamos dessa grandiosa campanha no Círio de Nazaré; este é o 8º ano, e é impressionante, vivemos novas emoções, como as pessoas abraçam a nossa campanha. Então é muito lindo de ver o grupo de escolas, de crianças, adolescentes, jovens abraçando a causa da luta contra o trabalho infantil. O nosso propósito é contaminar, é conscientizar a sociedade sobre quais são os males provocados pelo trabalho infantil e a importância da escola para superar essa dificuldade, famílias que em uma necessidade financeira por um prato de comida acabam colocando o seu filho para trabalhar. Nós temos consciência e a sociedade já mostrou que isso é verdade, sou exemplo dessa verdade, só a educação é o caminho para essa realidade de tantos excluídos da sociedade, não há outro caminho. Então, a nossa prece deste ano é pedindo a Maria que desperte nas crianças e nos adolescentes o interesse pelo saber e pela educação transformadora de suas realidades, exprime tudo aquilo que nós desejamos para as crianças e adolescentes do Pará e de todo o universo, para terem vida plena”, destacou a desembargadora Maria Zuila Lima Dutra, coordenadora Regional do Programa Contra o Trabalho Infantil.

Durante o percurso, as escolas Santa Terezinha, na Almirante Barroso, e a EETEPA Tancredo Neves, na BR, homenagearam Nossa Senhora com corais que entoavam os hinos que marcam os católicos paraenses, passando o sentimento de fé e reencontro. O mais tradicional foi "Vós Sois o Lírio Mimoso”, que pede a proteção da padroeira, amor e fé.  

O professor de português e redação, Rafael da Silva Queiroz, da EETEPA Tancredo Neves, falou da aproximação que o Tribunal faz com as escolas e todas às vezes que conseguem se unir, faz com que a cidadania seja muito mais efetiva e que os alunos tenham muito mais capacidade de dialogar e entender os passos que eles se encontram. 

“É muito importante que nossos alunos estejam participando desse evento cultural. Essas crianças estão esperando por muitos meses e principalmente dentro desse tema de trabalho infantil, o tema desse ano nos faz uma chamada: Maria, Mãe e Mestra - faz com que eles possam fazer uma reflexão muito importante e faz com que eles pensem muito sobre o ambiente que eles vivem, o lugar que eles estão e, principalmente, de aspectos que eles podem assumir na sociedade”, disse o professor. 

Reconhecimento

A reitora da Universidade da Amazônia (Unama), Betânia Fidalgo, falou da parceria entre a instituição e o Tribunal. “Esse trabalho desenvolvido dentro do TRT-8 dá o orgulho da gente poder participar, é nós que temos orgulho enquanto universidade, com 48 anos de história. Então, queria lhe dizer da emoção de estar aqui no Círio com o combate ao trabalho infantil, porque é o momento que Maria como mãe, ela fala da importância da gente cuidar das crianças”

Mensagem

O bispo auxiliar da Arquidiocese de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, falou da educação em casa: “Os educadores materno e paterno são os educadores éticos, justo, cheio de ternura e firmeza, porque somente assim promovemos bons cidadãos para a sociedade de hoje. Que cada um de nós reserve um pedacinho no seu coração para que Maria possa fazer morada e ajudar a transformação da nossa vida”.  

Confira as fotos do evento.

Fonte: TRT da 8ª Região (PA/AP)