Notícias do TST

null Ministro Brito Pereira é homenageado durante sua última sessão no Tribunal Pleno

O ministro compõe o TST desde 2000 e se aposentará nesta quarta-feira (21).

Ministro Brito Pereira

Ministro Brito Pereira

19/04/21 - O ministro João Batista Brito Pereira, que se aposenta na próxima quarta-feira (21), recebeu homenagens dos colegas ministros durante a sessão do Tribunal Pleno, realizada nesta segunda-feira (19). O ministro compõe o TST desde 2000 e presidiu o Tribunal no biênio 2018-2020.

A presidente do TST, ministra Maria Cristina Peduzzi, abriu as homenagens em nome de todo o Tribunal e saudou a trajetória do ministro Brito ao longo dos últimos 21 anos dedicados à instituição. “Somos todos admiradores e reconhecedores da importância de sua trajetória no TST”, afirmou a ministra. 

Desafios

Segundo o ministro Mauricio Godinho Delgado, o ministro Brito Pereira sempre se destacou por ser um magistrado extremamente dedicado à instituição e relembrou os desafios enfrentados durante seu período na presidência. “Num momento de enorme desafio pelo qual o sistema judicial trabalhista passava, o ministro Brito Pereira se portou de maneira absolutamente exemplar”, afirmou. “Conseguiu trazer um ambiente de maior segurança, respeito e acolhimento pela sociedade civil e pela comunidade da Justiça do Trabalho. Foi uma gestão de extrema importância. 

O ministro Brito Pereira, que ocupa vaga destinada a membro do Ministério Público do Trabalho, também foi homenageado pelo procurador-geral do Trabalho, Alberto Balazeiro. “Já fizemos nossa homenagem no MPT, reconhecendo todo o trabalho realizado em tantos anos como subprocurador-geral e renovo o agradecimento em nome também da nossa instituição”, assinalou.

Outros ministros também se manifestaram na despedida (veja aqui a íntegra da sessão).

Agradecimentos

O ministro Brito Pereira agradeceu as palavras dos colegas e relembrou sua trajetória profissional. “O dia 21 de abril foi inspirado em dois acontecimentos: o herói da Inconfidência e a chegada à Brasília, que me recebeu em 1975 sozinho, sem amigos, sem conhecidos e sem endereço. Hoje, tenho tudo isso e tantos amigos, muitos deles aqui no TST”, recordou.

Mencionando o poema “Vou-me embora pra Pasárgada”, de Manuel Bandeira, o magistrado finalizou em tom de despedida. “É com saudade que leio essa estrofe e concluo dizendo que vou deixar esta morada, mas continuarei morando na mesma rua. Obrigado, Tribunal, e que Deus nos abençoe”, concluiu.

(VC/RT)

Média (0 Votos)