Ir para o conteúdo

Projeto “SOS Execução” do TRT-10 (DF/TO) é destaque na região Centro-Oeste - Execução Trabalhista

Semana da Execução 2022 - CSS

 

Aplicações Aninhadas

Executômetro - coluna 1 - 2022

12ª Semana Nacional da Execução Trabalhista 2022 - Valor arrecadado

0

Executômetro - coluna 2 - 2022

Ranking dos Tribunais por Porte - Grande , Médio  e Pequeno

TRT-01
TRT-15
TRT-02
TRT-09
TRT-10
TRT-05
TRT-24
TRT-21
TRT-14

Executômetro - coluna 3 - 2022

Acordos homologados , leilões realizados e pessoas atendidas

15.736
595
287.193

Espaço

 

Vídeo

Banner fixo lateral

Publicador de Conteúdos e Mídias

null Projeto “SOS Execução” do TRT-10 (DF/TO) é destaque na região Centro-Oeste

A 12ª edição da Semana Nacional da Execução Trabalhista será realizada de 19 a 23 de setembro, em todo o país.

13/9/2022 - Com o slogan, “Na cara do gol - vire o jogo e finalize seu processo”, a Semana Nacional da Execução Trabalhista chega a sua 12ª edição em 2022. Organizado pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), em parceria com os 24 Tribunais Regionais do Trabalho, o evento tem o objetivo de  solucionar o maior número de processos que estão em fase final ou de execução.

Na semana que antecede o evento, uma série de publicações está divulgando cinco boas práticas promovidas pela Justiça do Trabalho, uma em cada região geográfica do país. A primeira ação de destaque foi na região Nordeste, com o um Fluxograma adotado na execução dos processos no TRT da 21ª Região (RN). Na matéria de hoje, vamos conhecer um pouco mais sobre as ações do TRT da 10ª Região, que se destaca na efetividade da execução na região Centro-Oeste.

SOS Execução

Para ampliar as possibilidades de acesso pelas Varas do Trabalho às pesquisas patrimoniais no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF/TO), foi criado o projeto “SOS Execução”. Segundo a juíza do trabalho Naiana Carapeba, “o projeto busca a solução de questões pontuais que exijam conhecimento especializado do Núcleo de Pesquisas Patrimoniais ou da Central de Execuções, visando disseminar conhecimentos e evitar a paralisação de processos em fase de execução”, ressalta.

Confira o depoimento completo da magistrada:

(AM/AJ)