Banner rotativo 33

Executômetro - 2021

0,00
7.043
R$ 387.183.917,02
358
R$ 107.689.136,49
TRT's de Grande Porte – 1º Lugar: TRT 15ª Região (Campinas) , 2º Lugar: TRT 2ª Região (São Paulo) , 3º Lugar: TRT 4ª Região (RS) --------- TRT's de Médio Porte – 1º Lugar: TRT 10ª Região (DF/TO) , 2º Lugar: TRT 9ª Região (PR) , 3º Lugar: TRT 5ª Região (BA) --------- TRT's de Pequeno Porte – 1º Lugar: TRT 24ª Região (MS) , 2º Lugar: TRT 22ª Região (PI) , 3º Lugar: TRT 13ª Região (PB)      
58.938

Espaço

 

Vídeo

Banner fixo lateral

Publicador de Conteúdos e Mídias

null TRT da 2ª Região (SP) aprova reunião de execuções contra clube de futebol; valores chegam a quase R$ 4,8 milhões

Com a concentração dos pagamentos em um único processo, ficam suspensas as execuções individuais, devendo esse passivo trabalhista ser quitado em 72 meses.

29/09/2021 - A Corregedoria do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP) aprovou a reunião de execuções transitadas em julgado contra o Sport Club Corinthians. Formalizada pela Portaria CR nº 11/2021, a medida abrange sete processos cujos valores totalizam R$ 4.746.012,12.

Com a concentração dos pagamentos em um único processo, ficam suspensas as execuções individuais, devendo esse passivo trabalhista ser quitado em 72 meses. O plano para pagamento foi apresentado pelo Corinthians à Corregedoria do TRT e aprovado no mês de setembro. Servem como garantia no processo alguns imóveis do clube, além de pagamentos de fornecedores.

A centralização das execuções está prevista na Lei 14.193/2021(Lei do Clube-Empresa). Pela iniciativa, a Justiça do Trabalho fiscaliza o cumprimento do plano e deixa de realizar penhoras individuais, o que confere previsibilidade   de pagamento aos credores. "A iniciativa permite que a empresa honre suas dívidas ao mesmo tempo que continue funcionando normalmente", resume o desembargador-corregedor, Sergio Pinto Martins.

Além do time alvinegro, a Associação Portuguesa de Desportos e o Santos Futebol Clube tiveram plano de pagamento para processos em execução aprovados pela Corregedoria do TRT. Até o momento, a Portuguesa quitou 63 processos no importe de R$ 1.890.213,23; e o Santos, R$ 781.680,00, em 11 processos.

Fonte: TRT da 2ª Região (SP)