Banner fixo lateral

Publicador de Conteúdos e Mídias

null Justiça do Trabalho da 4ª Região (RS) e Exército firmam convênio para oferecer a militares curso de segurança e saúde no trabalho

O curso terá uma carga horária de 35 horas/aula, na modalidade de educação a distância e autoinstrucional.

Integrantes da Justiça do Trabalho da 4ª Região (RS) e do Exército Brasileiro assinaram acordo para oferecer um curso de Segurança e Saúde no Trabalho para os cabos e soldados da 6ª Divisão de Exército (6ª DE). A solenidade de formalização ocorreu na tarde desta sexta-feira (5/2), no Salão Nobre da Presidência do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS), em Porto Alegre, com o termo sendo assinado pelo vice-presidente do TRT, desembargador Francisco Rossal de Araújo, pelo comandante da 6ª DE, general de divisão Achilles Furlan Neto, e pelo vice-diretor da Escola Judicial do TRT (EJud4), desembargador João Paulo Lucena.

O juiz titular da 6ª Vara do Trabalho (VT) de Caxias do Sul, Marcelo Porto, ministrante do curso, participou da cerimônia, assim como o coronel Júlio Cézar Dutra de Oliveira, sub-comandante do 3º Grupo de Artilharia Antiaérea (3º GAAAe) de Caxias do Sul, unidade onde teve início a colaboração das instituições, em 2019.

O curso terá uma carga horária de 35 horas/aula, na modalidade de educação a distância e autoinstrucional. A intenção é dar melhores condições de inserção no mercado de trabalho para os jovens egressos do serviço militar. Não há repasse de verbas entre os órgãos, nem aplicação de recursos orçamentários extras. A vigência se estende até o fim de 2022, podendo ser prorrogada se houver interesse mútuo.

Nas manifestações feitas durante o ato, o vice-presidente Rossal destacou o comprometimento do general Furlan e do coronel Dutra para a viabilização do plano, assim como do juiz Marcelo Porto. O desembargador manifestou sua convicção na necessidade de haver empenho das instituições brasileiras para superar os obstáculos impostos pela pandemia, acrescentando sua esperança de que o plano de ação ora assinado perdure durante as gestões futuras.

O general Furlan registrou seu orgulho de tomar parte neste acordo, afirmando ainda sua expectativa de que a iniciativa possa atingir o âmbito nacional, pois “a ideia é muito boa e vai decolar”. Mencionando a iminente e natural troca do comando da 6ª DE, reiterou sua felicidade por poder deixar dentre seu legado a formalização deste convênio.

O vice-diretor Lucena externou a satisfação da Escola Judicial (EJud4) em ser parceira na empreitada, “uma nova frente que se abre”. E disse-se duplamente feliz, pois participou do evento na condição de vice-diretor da EJud4, mas também é oficial da reserva do Exército, formado na turma de 1984 do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) de Porto Alegre.

Marcelo Porto rememorou a conversa inicial para alinhamento das aulas que viria a ministrar, diálogo ocorrido na 3ª Vara do Trabalho de Caxias do Sul, juntamente com a juíza Ana Julia Fazenda Nunes e o coronel Leandro Fernandes Moraes, então comandante do 3º GAAAe de Caxias do Sul. Fez questão de agradecer pelo ótimo tratamento sempre dispensado a ele pelos integrantes do Exército, gratidão e respeito demonstrados ali que o emocionam ainda hoje.

Fonte: TRT da 4ª Região (RS)