Banner fixo lateral

Publicador de Conteúdos e Mídias

null Dor no joelho é o principal motivo de afastamento do trabalho no ES


(03/08/2017)

Foram 568 pedidos de auxílio doença no primeiro semestre no estado. Ortopedista orienta sobre os cuidados que se deve ter.

A principal causa de afastamento de trabalhadores por auxílio-doença no primeiro semestre deste ano no Espírito Santo está relacionada a problemas no joelho. Em seguida, estão mioma, lesões do ombro e fraturas nas mãos. Já as dores nas costas, que sempre figuraram entre os primeiros colocados da lista, aparecem na nona posição.

De acordo com o levantamento feito pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), só nos seis primeiros meses de 2017 foram concedidos um total de 22.408 auxílios-doença, que geraram um pagamento de aproximadamente R$ 28,7 milhões em benefícios.

Liderando o ranking dos afastamentos, os chamados transtornos internos de joelhos geraram a concessão de 568 de auxílios-doença. Segundo o fisioterapeuta Gustavo Pilon, os problemas decorrem principalmente de duas situações:

“Na primeira, usamos muito o joelho e não cuidamos dele, exceto no caso das pessoas que sofreram traumas, enfraquecendo a musculatura. Já na segunda situação, as pessoas que usam muito o joelho subindo e descendo escadas e transportando pesos não têm o alinhamento adequado para evitar as lesões”.

Mulheres
No ranking do INSS de doenças que mais afastaram profissionais neste primeiro semestre, a segunda posição é ocupada pelo “leiomioma do útero”, mais conhecido como mioma. Os caroços que surgem no útero foram os responsáveis pelo afastamento por doença de 376 pessoas no estado de janeiro a junho.

De acordo com o ginecologista obstetra Richard Tanure, a doença é uma predisposição genética. Na fase em que a mulher produz mais hormônios, ele cresce muito. Já na fase da menopausa, o crescimento é menor.

“A pessoa já nasce com uma predisposição para ter o mioma. Existem pessoas que têm um ou dois; outras chegam a ter 30. Ele aparece em diferentes faixas etárias. Se a mulher fizer o exame de rotina vai poder detectar o mioma e não vai chegar ao ponto de passar por uma cirurgia para retirada total do útero”, comentou o médico.

Para o especialista, um dos motivos para a doença ocupar a segunda colocação no ranking é a falta de tempo para se cuidar. Com o avanço e crescimento de miomas no organismo, ela pode causar hemorragia que leva à anemia. “Muitas mulheres trabalham e não têm tempo de ir ao médico”, lembrou.

Ranking
Causas

Transtornos internos de joelhos: 568
Leiomioma do útero (mioma): 376
Lesões do ombro: 363
Fratura da extremidade distal do rádio: 331
Fratura ao nível do punho e da mão: 300
Dorsalgia (dor na região torácica): 285
Fratura da perna e tornozelo: 285
Colelitíase: 278
Dor lombar baixa: 272
Varizes membros inferiores: 256

Valor pago

Segundo o INSS, de janeiro a junho de 2017 foram concedidos 22.408 benefícios e pagos R$ 28,7 milhões. 

Fonte: G1 Espírito Santo