Voltar

Prefeitura de Belém (PA) garante apoio oficial a II Marcha contra o Trabalho Infantil

(11/02/2020)

O prefeito de Belém (PA), Zenaldo Coutinho, em reunião, na última quarta-feira (5), com as gestoras da Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (PA/AP), desembargadora Zuíla Dutra e juíza Vanilza Malcher, declarou apoio à II Marcha de Belém contra o Trabalho Infantil.  O evento realizado pela Justiça do Trabalho da 8ª Região em parceira com o Ministério Público do Trabalho e o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil ocorrerá no dia 1º de março na capital e deve reunir cem mil pessoas.

O prefeito manifestou apoio integral à II marcha com a participação institucional de secretarias e fundações. "A prefeitura participará como parceira em todas as suas áreas, tanto na organização quanto na mobilização de pessoas. Teremos Guarda Municipal, Semob, Fumbel, Funpapa, Semec, mobilizando as escolas, Sesma, com sua infraestrutura e apoio nas comunidades, ou seja, a Prefeitura de maneira integral participará, até porque a Marcha se transforma num grande momento de coroamento de políticas públicas exercidas no dia a dia pela própria municipalidade no combate ao trabalho infantil. O momento da Marcha ganha a dimensão da mobilização de outros parceiros que possam se juntar e da conscientização social e popular a respeito da causa".

Sensibilização nas escolas

A secretária municipal de educação, Socorro Aquino, disse que a mobilização é importante para retirar as crianças do trabalho infantil e que estudantes, professores e pais de alunos serão incentivados a realizar atividades que culminarão na grande caminhada do dia 1º de março. "Nós podemos, pedagogicamente, dentro das escolas, construir os cataventos, fazer a sensibilização com os pais, palestras com os alunos e no dia mobilizar e participar com todas as crianças. Esperamos que todos os nossos alunos estejam presentes no dia e que a gente possa sensibilizar a nossa sociedade de Belém e que ocorra a erradicação do trabalho infantil na grande Belém."

Para a presidente da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), Adriana Azevedo, a Marcha consolida um trabalho de longos anos que é o enfrentamento do trabalho infantil. "Será um momento histórico, emblemático. A fundação como um todo está envolvida porque é um grito que precisa ser de todos. Não só institucional, não só público, mas de todos. Ainda temos crianças em nossas casas fazendo trabalho de adulto, criança cuidando de criança no trabalho infantil doméstico. Esse grito é necessário. Então, há um envolvimento e um comprometimento total para que nós possamos fazer um evento inesquecível".

Rede de proteção social

Na II Marcha contra o Trabalho Infantil, a Funpapa mobilizará os cinco Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), os doze Cras (Centro de Referência de Assistência Social) e os espaços de acolhimento. Os representantes dessas unidades participaram de encontro com a desembargadora Zuíla Dutra, realizado na sede da Fundação, e receberam orientações sobre a realização do evento.

A diretora da Funpapa, Eduarda Louchar, disse que o movimento em prol do combate ao trabalho infantil deve ser de toda a Belém. "A Marcha é momento em que vamos dar visibilidade para esse tema para toda a sociedade. Nossa participação vai se dar de maneira efetiva e maciça com nossos servidores e usuários".

Fonte: TRT da 8ª Região (PA/AP)