Voltar

Combate ao trabalho infantil tem a participação de artistas da Paraíba

(04/12/18)

O Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem vai encerrar o ano de 2018 com uma campanha falando das piores formas de trabalho infantil com a participação de artistas paraibanos. O grupo de Forró Os Gonzagas, o cantor Kevin Ndjana e os músicos e servidores do TRT Carlinhos e Karla Telles.

Os vídeos serão postados nas redes sociais do TRT13, YouTube (youtube.com/trt13paraiba), Instagram (instagram.com/trt13paraiba) e Facebook (facebook.com/TRT.PB). Para a campanha foram gravados quatro vídeos. Nesta terça-feira será postado um dos vídeos do grupo Os Gonzagas (a banda fez duas gravações), na quarta será postado o vídeo de Kevin, na quinta-feira o de Carlinhos e Karla Telles e na sexta-feira o segundo vídeo da banda de forró Os Gonzagas. Todas as gravações serão repassadas para grupos de whatsapp, para que a mensagem de combate ao trabalho infantil seja levada ao maior número de pessoas possível.

Na semana passada a juíza Maria Lilian Leal de Sousa apresentou a campanha no seminário realizado conjuntamente pelos programas de combate ao Trabalho Infantil e Trabalho Seguro, que teve como tema Violências no Trabalho: Enfrentamento e Superação. A juíza Lilian Leal e o desembargador Thiago de Oliveira Andrade são os gestores na Paraíba do programa de Combate ao Trabalho Infantil.

Piores formas

Nos vídeos, os artistas chamam a atenção para o número absurdo de crianças e adolescente que trabalham no Brasil, e boa parte nas piores formas. Veja um dos textos: “Você sabe quantas crianças e adolescentes são exploradas pelo trabalho infantil no Brasil? É triste falar, são três milhões! Temos crianças e adolescentes no tráfico de drogas, no trabalho infantil doméstico, nos lixões e exploradas sexualmente. Vamos fazer a nossa parte e combater essa injustiça?! Então, entre na luta pela prevenção e erradicação ao trabalho infantil. Lugar de criança é na escola”.

Todos os vídeos terminam com música, com os artistas confiando e celebrando uma vitória que virá: um país sem trabalho infantil. Os artistas aceitaram o convite do programa trabalho infantil voluntariamente, sem a cobrança de cachê.

Ações em 2018

Este ano o Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à aprendizagem realizou várias atividades na Paraíba. Em parceria com a Secretaria de Assistência Social da prefeitura de Cabedelo, reuniu mais de duzentos estudantes com idade entre 6 e 17 anos para discussão e reflexão sobre o combate ao Trabalho Infantil. Na Fortaleza de Santa Catarina o TRT montou a exposição “Um Mundo sem Trabalho Infantil” e distribuiu material didático que trata do combate a essa prática.

Aproveitando os festejos juninos, que exaltam a cultura nordestina em forma de música e dança, realizou um 'flash mob' dentro da Campanha Nacional de Combate ao Trabalho Infantil. No mês de abril de 2018 concluiu o projeto estratégico “Enfrentamento ao Trabalho Infantil”, em uma parceria com a Polícia Militar da Paraíba. O objetivo foi promover ações de parcerias, conscientização e diálogos com integrantes da Polícia Militar, através de aulas e oficinas, sobre o enfrentamento ao trabalho infantil.

Em outubro foi iniciada mais uma turma do projeto e-Saber de inclusão digital e social, que teve a edição inserida no Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem, dedicada a adolescentes do regime de semiliberdade, assistidos pela Fundac.

Fonte: TRT 13