Publicador de Conteúdos e Mídias

null Convenção da OIT com as piores formas de trabalho infantil faz 20 anos nesta terça (2)

A lista da OIT mostra as atividades nas quais as crianças estão mais sujeitas a sequelas físicas e mentais.

Há exatos 20 anos, a Convenção 182 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) entrou em vigor no Brasil trazendo a lista com as piores formas de trabalho infantil. O quadro Música do Dia da Rádio TRT FM 104.3 comemora a data nesta terça-feira (02) com a canção 'Super Fantástico', sucesso do grupo Balão Mágico na década de 80.

A lista da OIT mostra as atividades nas quais as crianças estão mais sujeitas a sequelas físicas e mentais. É o caso daquelas que envolvem situações perigosas, de maiores riscos de acidentes, como na construção civil, em madeireiras, em trabalho forçado... E sequelas psicológicas, como na utilização de criança para fins de prostituição, produção de pornografia e o recrutamento para atividades ilícitas, a exemplo do tráfico de drogas.

Colocar crianças para trabalhar como domésticas também está entre as das piores formas de trabalho infantil, por trazer riscos graves como trabalhar à noite, abusos sexuais e isolamento social.

Ao ratificar a convenção 182 da OIT, os países se comprometeram a adotar medidas para eliminação das formas de trabalho infantil em caráter de urgência, dando apoio às famílias dessas crianças e combatendo a pobreza. Esta é uma das oito Convenções Fundamentais da OIT , que incluem a eliminação do trabalho infantil, a erradicação do trabalho forçado, a eliminação da discriminação no trabalho, o direito à liberdade sindical e à negociação.

Música do dia

O quadro Música do Dia busca despertar as pessoas para refletirem sobre a importância das datas e eventos celebrados durante o ano. O programa lembrar datas de comemorações de classes profissionais e momentos marcantes relacionados à área trabalhista, como datas em que foram editadas leis e outros marcos do mundo do trabalho.

A programação é veiculada às 10h, 16h30 e 20h30 na Rádio TRT FM.

Fonte: TRT da 23ª Região (MT)