Publicador de Conteúdos e Mídias

null Comissão de Combate ao Trabalho Infantil da 8ª Região (PA/AP) firma parceria com agência de estágios

Objetivo é preparar jovens para ocupar futuras vagas de aprendiz.

Uma reunião virtual realizada no final de janeiro marcou a parceria entre a Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (PA/AP) e a agência Super Estágios, um grupo nacional do segmento de Recursos Humanos cujo foco é criar oportunidades de estágios.

No encontro on-line com os sócios da agência, a desembargadora Zuíla Dutra e a juíza Vanilza Malcher, coordenadoras regionais da comissão, explicaram como funciona o projeto "Padrinho Cidadão", que, por meio de ações educacionais, prepara jovens para ingressar no mercado de trabalho.

Além das coordenadoras, participaram da reunião voluntários do projeto do TRT como a bacharel em direito Leide Daiana. Há quatro anos a moradora da Guanabara, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, integra o projeto do Tribunal. Leide participou da reunião relatando um pouco do trabalho que desenvolve com os jovens, explicando como funciona o apadrinhamento deles e como é a atuação dos voluntários nas comunidades. Atualmente, ela tem 30 afilhados e integra as atividades da comissão desde a sua criação.

De acordo com Leide, na parceria com a agência, os voluntários terão o papel de identificar, preparar, indicar e acompanhar cada jovem nas seleções de estágio. "É importante frisar que atuamos diretamente com crianças, adolescentes e jovens em extrema vulnerabilidade social, e que não dispõem, em sua maioria, de acesso às tecnologias e, consequentemente, às redes sociais, o que torna um desafio muito maior para nós padrinhos, mas que, com muito amor e empenho, venceremos".

A desembargadora Zuíla Dutra ressalta que a parceria é de grande relevância "porque, o maior objetivo do Tribunal é contribuir com o pleno desenvolvimento de crianças, adolescentes e jovens, para que eles sejam protagonistas de suas histórias, o que inclui prepará-los para que ingressem no mercado de trabalho de forma digna, sendo que a possibilidade de vagas de estágio é um desses caminhos".

O encontro serviu para a Comissão conhecer a forma de atuação da empresa. "Saímos do encontro confiantes de que essa nova parceria dará grande contribuição àqueles que tanto necessitam de uma oportunidade, como um caminho de descobertas de talentos, de despertar dos sonhos e de firmar a crença de que, com união de esforços, é possível construir um futuro melhor para todos", reforçou a magistrada.

Pandemia

Em 2020, diante da eclosão da pandemia que assola o mundo, o projeto do TRT não parou. Voluntários produziram máscaras de tecido para doar para famílias em situação de vulnerabilidade social, e também desenvolveram campanhas para a doação de cestas de alimentos.

"Nós recuamos em alguns momentos, mas não deixamos de atuar para melhorar a vida desses meninos e meninas, e o que colhemos foi um grande avanço frente ao combate do trabalho infantil, haja visto termos inserido muitos jovens trabalhadores infantis na aprendizagem, uma vitória muito celebrada por todos nós voluntários e nossas gestoras", contou Leide Daiana.

Oportunidade

A parceria com a agência de estágio significa mais oportunidade para que os jovens possam ocupar as vagas que surgirem, tanto de aprendizes quanto de estagiários. Mas é preciso preparar essa mão de obra, porque as empresas exigem experiência profissional e nem sempre os jovens da periferia conseguem ingressar por falta de formação adequada. "O jovem precisa ser treinado, incentivado e supervisionado", enfatiza a voluntária.

A representante da Super Estágio, Renata Elizondo, destaca que a parceria com a Comissão do TRT tem alinhamento completo com os propósitos do grupo, que acaba de chegar ao mercado local firmando parcerias com instituições de ensino, empresas e entidades de classe da região. "Podemos somar esforços, não apenas para abrir oportunidades de inserção dos jovens e adolescentes no mercado de trabalho, mas também para contribuir para o amplo desenvolvimento desse público".

Segundo Renata, o objetivo da agência é garantir a aplicação da Lei do Estágio, proporcionado segurança à empresa e aos jovens, fazendo o acompanhamento dos estudantes e proporcionando uma seleção de estagiários com o uso de tecnologia aplicada, que possa levar a instituição parceira a contratar o candidato ideal.

"Acreditamos que Estágio é oportunidade. Não apenas a oportunidade que o estudante tem de aprender e de se profissionalizar, de se inserir no mercado de trabalho de forma legal. Mas também a oportunidade que qualquer empresa tem de receber talentos, cumprir um papel social e até trazer modernidade para seu negócio. Nosso objetivo é que a nossa parceria nos permita levar essas oportunidades a um público de estudantes que tem mais dificuldades para conseguir acesso a tais oportunidades, em função da realidade de formação e vulnerabilidade que enfrentam", concluiu.

Fonte: TRT da 8ª Região (PA/AP)