Publicador de Conteúdos e Mídias

null Ações de Combate ao Trabalho Infantil da 8ª Região (PA/AP) no mês de maio geram ganhos à sociedade

Projetos abrangem diversas áreas da Região jurisdicionada pelo TRT.

28/05/2021 - Em meio às restrições causadas pela pandemia do Covid-19, as campanhas da Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e Incentivo à Aprendizagem, do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (PA/AP), têm focado na busca pela solidariedade, a fim de amenizar os efeitos que recaem sobre as famílias de crianças e adolescentes. As mais recentes, como o projeto “Têm crianças precisando de nós” e as arrecadações realizadas em razão do Dia das Mães, tiveram uma ampla adesão e alcançaram seus objetivos com grande sucesso.

Coordenada pela desembargadora Maria Zuíla Lima Dutra e pela juíza do Trabalho Vanilza Malcher, a Comissão é referência no combate à exploração de crianças e adolescentes, com reconhecido trabalho desenvolvido nos estados do Pará e Amapá. Segundo a juíza, “as atividades são desenvolvidas sempre com muitas parcerias. Nossos maiores beneficiários são os alunos de escolas públicas, tanto municipais quanto estaduais.”

“Têm crianças precisando de nós”

A campanha “Têm crianças precisando de nós”, que possuía o objetivo de arrecadar cerca de 5 mil resmas de papel, coinseguiu auxiliar mais de 100 escolas públicas da região metropolitana de Belém. Em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, MPT e Defesa Civil, o material também chegou a Regiões quilombolas e rurais, beneficiando diversos alunos de ensino fundamental das regiões beneficiadas. Com a ajuda das atividades impressas nas resmas, 4 alunos da Escola Álvaro Adolfo, em Ananindeua, foram medalhistas na Olimpíada Canguru de Matemática, graças a seu esforço e dedicação.

Segundo a juíza Vanilza Malcher, a necessidade foi informada pelas próprias escolas, que “entraram em contato pedindo ajuda para que conseguíssemos papel, para que eles pudessem reproduzir as atividades impressas a eles demandadas”.

“Mãe é alimento”

Outro projeto desenvolvido pela Comissão recebeu o nome “Mãe é alimento”, em alusão ao Dia das Mães, que arrecadou cestas básicas oferecidas a mães de baixa renda auxiliadas pela campanha. A desembargadora Maria Zuíla relata que, “após uma pesquisa realizada com as mães sobre ‘o que gostariam de ganhar no Dia das Mães’, 40% delas respondeu que gostaria de receber cestas básicas. Isso levou um pouco de alegria a elas nesta data tão especial”. No final da campanha e com o apoio de pessoas de diversas localidades, inclusive de fora do Pará, 552 mães foram contempladas pelas doações.

Para saber mais sobre a comissão, clique aqui.

Fonte: TRT da 8ª Região (PA/AP)