Notícias

null Exposição no TST retrata exemplos de gestão pública sustentável


Para marcar o dia 5 de junho, data instituída em 1972 pela Organização das Nações Unidas (ONU) como Dia Mundial do Meio Ambiente, o Tribunal Superior do Trabalho organizou a exposição ‘Semana do Meio Ambiente no TST: um olhar sustentável’.

O presidente do TST, ministro Brito Pereira, abriu a mostra e destacou as iniciativas realizadas no âmbito do Tribunal desde 2010, a partir da criação do Programa ‘Sustentabilidade Solidária’.

“Estamos empenhados em instituir ações e pensar em projetos mais sustentáveis, que gerem economia na gestão pública e que contribuam para o meio ambiente”, destacou o ministro.

Segundo o presidente do TST, todos os servidores podem contribuir. “É na economia com as impressões, utilizando copos de vidros no lugar dos descartáveis, entre outras pequenas ações que fazem grande diferença”.

Os servidores têm feito o dever de casa. Dados demonstram que, em 2018, por exemplo, o TST reduziu em 36% o gasto com a contratação de impressão fora do Tribunal, diminuiu também em 19% o uso de papel. Foram registradas redução de 41% na conta de telefonia fixa e diminuição de 9% no consumo de copos descartáveis.

Iniciativas

A exposição foi idealizada pelo Núcleo Socioambiental do TST com o intuito de mostrar as boas práticas realizadas quando o assunto é a preservação dos recursos naturais do planeta.

Entre os exemplos está a coleta seletiva de lixo, realizada pelo Tribunal desde 2016.  Papelões, plásticos, isopores, metais, vidros, pilhas e baterias são depositados em recipientes próprios e destinados a cooperativas. 

Mas as ações não param por aí. De acordo com o coordenador do Núcleo Socioambiental, Jomar Pereira da Silva, os próximos projetos incluem a retirada das lixeiras de cada unidade e a instalação de coletores para separação do lixo de forma sustentável, de acordo com as determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010).

“A gente tem que recolher o lixo orgânico separado do lixo reciclável para poder mandar para as cooperativas, remetendo para o aterro sanitário apenas aquilo que realmente deva ir,” descreveu.

Compostagem

O processo no qual fungos e bactérias degradam os restos de alimentos resultando em adubo natural é realizado no TST desde 2014. De lá para cá, a quantidade de adubo orgânico, que é utilizado nos jardins, só aumenta.

Em 2018, foram produzidas cerca de 72 toneladas de composto orgânico. No mesmo período, foram enviadas para cooperativas 44 toneladas de lixo reciclável.

Durante a exposição do TST, que segue montada até sexta-feira (7), será possível ver de perto como funciona o processo de compostagem. É possível baixar a cartilha explicativa sobre o processo.

Inscrição no Canal Youtube do TST

Fale Conosco

Conteúdo de Responsabilidade do Núcleo Socioambiental

nsa@tst.jus.br

(61) 3043-7567