Outras Notícias

null Faculdade é condenada a pagar diferenças salariais a tutora que exercia atividade de professora
A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) rejeitou recurso da faculdade Anhanguera Educacional Participações S.A., de Campo Grande (MS), contra condenação ao pagamento de diferenças salariais a uma profissional que, contratada como tutora, foi reconhecida judicialmente como professora de nível superior. Veja na reportagem de Pablo Lemos.