Notícias do TST

null Senado aprova desembargadora Morgana Richa para o TST

Também foi aprovada a indicação do vice-presidente do TST, ministro Vieira de Mello Filho, para o CNJ.

Desembargadora Morgana Richa

Desembargadora Morgana Richa

30/11/21 - O Senado Federal aprovou, nesta terça-feira (30), a indicação da desembargadora Morgana de Almeida Richa para o cargo de ministra do Tribunal Superior do Trabalho. Também foram aprovadas as indicações, para compor o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), do vice-presidente do TST, ministro Vieira de Mello Filho, na vaga destinada ao TST, e da desembargadora Jane Granzoto Torres da Silva, do TRT da 2ª Região (SP).

Sabatinas

Durante a tarde, os indicados foram sabatinados pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que aprovou as indicações e as submeteu ao Plenário. 

Na sabatina, a desembargadora Morgana Richa afirmou que adotará como norte de sua atuação no TST a pacificação social e a defesa da segurança jurídica, a partir da ponderação e do diálogo. A magistrada destacou, ainda, a necessidade de prestigiar a boa-fé contratual nas relações trabalhistas e a importância do cumprimento das leis e dos contratos firmados.

Ministro Vieira de Mello FilhoO ministro Vieira de Mello Filho disse que sua indicação para o CNJ não constitui um projeto pessoal, mas uma oportunidade de compartilhar com os demais segmentos do Poder Judiciário a experiência acumulada em 34 anos de magistratura do trabalho, em favor do aperfeiçoamento do serviço público de Justiça. Ele ressaltou, ainda, a relevância histórica da criação do CNJ, especialmente para a efetivação dos direitos e das garantias para todos os cidadãos brasileiros.

Para a desembargadora Jane Granzoto Torres da Silva, é preciso estabelecer parâmetros administrativos e funcionais de atuação dos órgãos jurisdicionais. Ela ressaltou, ainda, que as particularidades de um país de ordem continental como o Brasil impõem ao CNJ um olhar diferenciado, mas sem distanciamento das políticas estratégicas e de gestão em favor da população.

O juiz Roberto Fragale Filho, também indicado para o CNJ e sabatinado nesta tarde, afirmou que o sistema de resolução de conflitos no mundo do trabalho contribui para a concretização dos direitos sociais. Ele ressaltou a importância do CNJ, cuja agenda de atuação se ampliou ao longo dos anos, e disse que o Judiciário deve prestar à sociedade um serviço compreensível e acessível a todos. 

(Com informações da Agência Senado)

Média (0 Votos)

Rodapé - Responsabilidade - SECOM


Conteúdo de Responsabilidade da
SECOM - Secretaria de Comunicação
Email: secom@tst.jus.br
Telefone: (61) 3043-4907