Notícias do TST

null Trabalhadores das obras do Mineirão participam hoje (22) de ato para prevenção de acidentes


Cerca de 2,5 mil trabalhadores das obras da esplanada do Mineirão, em Belo Horizonte (MG), participam nesta sexta-feira (22), às 10h, do Ato Público pelo Trabalho Seguro na Indústria da Construção. O campeão mundial Bebeto, o volante da seleção tricampeã de 1970, Wilson Piazza,  e os jogadores Reinaldo e Eder Aleixo,  ídolos do Atlético Mineiro, participam do evento organizado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (MG).

Este é o quinto ato realizado pelo presidente do TST e do CSJT, ministro João Oreste Dalazen, e faz parte do Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho. O objetivo é chamar a atenção da sociedade para a importância de se cumprir as normas de segurança para evitar danos à vida e à saúde dos trabalhadores envolvidos nas muitas obras para a Copa do Mundo em 2014. Os trabalhadores do Mineirão (Estádio Governador Magalhães Pinto) irão assistir palestra e vídeo educativo, além de receber um kit com cartilha, boné e camiseta.

O ato público pelo Trabalho Seguro já foi realizado em outras quatro obras da Copa do Mundo 2014: Estádio do Maracanã (Rio de Janeiro), Arena das Dunas (Natal), Arena Pantanal (Cuiabá) e Arena Corinthians (São Paulo). São parceiros do TRT 3ª Região na realização do Ato Público de Belo Horizonte: Sesi/Fiemg, Sicepot - Sindicato da Indústria da Construção Pesada de MG, Sinduscon - Sindicato da Indústria da Construção Civil de MG e Siticop - Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada.

De acordo com Severiano Braga, gerente de operações do Consórcio Minas Arena, responsável pela obra no Mineirão, já foram concluídos 58% dos trabalhos no estádio, que deverá estar pronto até o final deste ano.

Acidentes

A construção civil lidera o ranking de acidentes de trabalho com mortes no país. De acordo com o Anuário Estatístico do Ministério da Previdência Social, em 2010 foram 54.664 ocorrências, dos quais 36.379 se enquadram como "acidentes típicos", como as quedas em altura – que é a causa mais comum de lesões e morte – e os acidentes em trabalhos de escavação e movimentação de cargas.

No mundo inteiro, os trabalhadores da construção civil têm três vezes mais probabilidades de sofrer acidentes mortais e duas vezes mais de sofrer ferimentos. Com a atual construção de grandes usinas hidrelétricas no país e de obras voltadas para a Copa do Mundo em 2014 e para as Olimpíadas em 2016, a preocupação é a de que o aquecimento da construção civil acabe repercutindo também num aumento do número de acidentes.

O Anuário Estatístico da Previdência Social revela que, em 2001, ocorreram no país cerca de 340 mil acidentes de trabalho. Em 2007, o número elevou-se para 653 mil e, em 2009, chegou a preocupantes 723 mil ocorrências, dentre as quais foram registrados 2.496 óbitos. Foram quase sete mortes por dia em virtude de acidente de trabalho.

A Previdência Social despende, anualmente, cerca de R$ 10,7 bilhões com o pagamento de auxílio-doença, auxílio-acidente e aposentadorias e, segundo o economista José Pastore, o custo total dos acidentes de trabalho é de R$ 71 bilhões anuais, numa avaliação subestimada.

Este valor representa 9% da folha salarial anual dos trabalhadores do setor formal do Brasil, e reúne os custos para as empresas (seguros e gastos decorrentes do próprio acidente) e para a sociedade (Previdência Social, Sistema Único de Saúde e custos judiciários).

Programa Nacional

A intenção do Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, lançado pelo TST e pelo CSJT, em parceria com os ministérios da Saúde, Previdência Social, Trabalho e Emprego, Advocacia-Geral da União e Ministério Público do Trabalho, é reverter o cenário de crescimento do número de trabalhadores vítimas de acidentes.

A segunda etapa do programa é centrada no setor da construção civil, e prevê a realização de atos públicos semelhantes em obras de reforma ou construção de estádios que receberão os jogos da Copa do Mundo de futebol no Brasil em 2014 e as grandes obras de infraestrutura atualmente em curso no país. O primeiro Ato Público pelo Trabalho Seguro na Construção Civil foi realizado no dia 2 de março nas obras de reconstrução do estádio do Maracanã, com participação ativa dos trabalhadores. Na abertura do evento, o ministro João Oreste Dalazen enfatizou a preocupação da Justiça do Trabalho com o crescente número de acidentes de trabalho no país, muitos ocorridos por falta de observação às normas de segurança.

(Rafaela Alvim, com informações do TRT-MG e Agência de Notícias do CSJT)

Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Secretaria de Comunicação Social
Tribunal Superior do Trabalho
Tel. (61) 3043-4907
imprensa@tst.jus.br

Inscrição no Canal Youtube do TST

Média (0 Votos)