Notícias do TST Notícias do TST

Voltar

Trabalho no Mundo - Licença-maternidade na Alemanha pode ser contada como tempo para aposentadoria

 
                         Baixe o Áudio
      
 
(Qui, 06 Out 2016 11:04:00)
 
REPÓRTER: Imagine a cena: a trabalhadora fica em casa, por até três anos, cuidando dos filhos pequenos, e esse tempo é contado para a aposentadoria. Na Alemanha, é exatamente assim que acontece. 
 
Lá, a empregada -  alemã ou estrangeira -  tem direito, durante os três primeiros anos de vida dos filhos, ao recolhimento mensal, efetuado pelo próprio instituto de aposentadoria do país. Além disso, quando retornar ao trabalho, ela tem a vaga assegurada. Para isso, a trabalhadora precisa fazer o pedido, informando por quanto tempo pretende se dedicar à família. 
 
A  jornalista brasileira Christiane Telles, que mora há seis anos na Alemanha, elogia a sensibilidade do governo alemão em proteger a mãe trabalhadora e a maternidade humanizada. Enquanto o marido, alemão e professor universitário, trabalha, ela está de licença, cuidando dos filhos. 
 
SONORA: Christiane Telles - jornalista
 
"Esse tempo que estou me dedicando à minha família (ele) conta para a minha previdência, para minha aposentadoria, então, eu acho isso muito interessante, que eles valorizem o tempo que a gente se ausenta do mercado de trabalho para poder cuidar da família".
 
REPÓRTER: Além desse direito, na Alemanha, a mãe trabalhadora também poderá se licenciar do emprego por até 14 meses para se dedicar à família. O mesmo direito é estendido aos pais que trabalham. O cônjuge que fica em casa recebe 67% do salário líquido. 
 
SONORA: Christiane Telles - jornalista 
 
"Normalmente, pelas experiências que eu vejo nos nossos ciclos de amizade e na nossa família, se tira uma licença de um ano e nesse um ano, a gente recebe o auxílio criança... Isso eu acho fantástico, a atenção, o envolvimento, a importância que a família tem nessas relações trabalhistas". 
 
REPÓRTER: No Brasil,  a mãe trabalhadora também é protegida pela legislação. Por aqui, ela tem direito à licença maternidade de seis meses, com esse tempo sendo contado para efeitos de aposentadoria. 
 
A contribuição do trabalhador à Previdência Social pode ser feita de duas maneiras. Para quem tem registro em Carteira de Trabalho, a obrigatoriedade do recolhimento fica a cargo da empresa, que desconta do salário o valor da contribuição e o repassa aos cofres da Previdência.
 
Já os trabalhadores autônomos, devem fazer a contribuição por meio do pagamento de carnê, com valores equivalentes a 20% do salário, sendo que esses valores devem respeitar os limites do salário mínimo e do teto previdenciário.
 
Reportagem: Mércia Marciel          
Locução: Giselle Mourão
 
Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Rádio e TV
Tribunal Superior do Trabalho
Tel. (61) 3043-4264
crtv@tst.jus.br
Média (0 Votos)



Conteúdo de Responsabilidade da SECOM  Secretaria de Comunicação Social

Email: secom@tst.jus.br

Telefone: (61) 3043-4907